Consulta sem compromisso: (+351) 910 714 850

Decidir o que deve ser vendido.

Uma das questões que um proprietário florestal enfrenta, é se deve vender a propriedade que lhe pertence ou apenas a sua produção.

Vale a pena reflectir bem sobre o assunto, pois cada estratégia tem as suas vantagens e desvantagens.

O tipo de venda de uma parcela florestal deve ser definida pelo próprio proprietário, tendo em conta as suas capacidades de gestão e os seus objectivos a longo prazo.

Damos aqui algumas indicações básicas sobre cada um desses métodos de venda, as quais esperamos que o ajudem a tomar uma decisão mais esclarecida.

Venda da madeira constante na parcela florestal

Alguns proprietários florestais não estão inclinados a transferir todos os direitos de propriedade para outras pessoas ou empresas. Nesse caso optam por vender a floresta para a exploração da sua madeira. O que é que isto implica?

A vantagem mais óbvia deste tipo de venda é a de conservar para si toda a propriedade. A floresta passa então a dar um rendimento permanente para o proprietário.

Depois de vender o seu lote florestal para madeira, pode replantá-la e voltar vendê-la para abate (quando o tipo de plantação o exige) . Além disso, pode ser um bem a longo prazo, que pode utilizar como garantia para obter um eventual financiamento.

Por outro lado, se decidir continuar a ser proprietário florestal, isso significa que:

Venda da propriedade

Ao vender a totalidade da propriedade florestal irá transferir todos os direitos para um novo proprietário – madeira, localização e terra. Ao mesmo tempo, esse proprietário também terá as suas responsabilidades que anteriormente lhe cabiam a si, de cuidar e gerir a propriedade florestal. Assim, vender uma propriedade florestal é um negócio único que pode trazer mais rendimento e aliviá-lo de responsabilidades e obrigações no futuro.

O que escolher?

Ao decidir qual a melhor forma de vender, sugerimos que leve o seu tempo e reflicta sobre se gostaria ou não de deixar esse bem imóvel aos seus filhos e netos, perpetuando a propriedade da família pelas gerações vindouras.